segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Psycho Chicken



Desengane-se quem acha que a vida de funcionário público é feita de Solitários e intervalos para café! Esta que aqui vêem -kind of-, qual membro da RSPCA (é estrangeiro), protagonizou esta manhã um resgate que ficará na história dos mais fabulosos resgates em edifícios do estado! Salvei uma galinha! Ou galo, que não deu para ver. Debati-me furiosamente com um cigano que já a tinha debaixo do olho, mas ganhei! Perante a passividade e algum nojo das gentes da terra, foi preciso vir a menina da cidade -e de saltos altos- para apanhar a bicha.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

It's the end of the world as we know it, and I feel fine!


Acordei durante a noite e vi a luz. Levantei-me e fui apagá-la, que isto com o IVA a 23% não há lugar para misticismos, mas já que estava de pé fui-Lhe acender uma vela no pequeno altar que Lhe dediquei na entrada da minha casa. Há que prevenir e nestas alturas fica bem dizer que cremos num ser superior. Quase perfeito, não fosse o excesso de lantejoulas.

É que diz que hoje é que vai ser o fim do mundo. Eu acredito que sim, a avaliar pela quantidade de bebida que comprei.

A má notícia é que não vou poder usar o modelito que tinha escolhido para a ocasião, derivado ao S. Pedro nos andar a trocar as voltas. A boa é que não tenho que me preocupar nem com o barulho, nem com o vizinho, nem com o que fica para arrumar para o dia seguinte! E podemos beber como se não houvesse amanhã, porque se tudo correr bem... não há!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Elogio da estupidez*


estupidez,

s. f.
1. Defeito da pessoa estúpida.
2. Falta de inteligência e de delicadeza de sentimentos.
3. Acto (ato) ou expressão de estúpido.




*diz que até lhe dedicaram uma música e tudo

terça-feira, 19 de julho de 2011

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Alea jacta est

Sempre gostei da civilização romana. Sou capaz de ficar horas a olhar para as ruínas de um templo (sim, eu não saio muito), já contei as tesselas vermelhas de uma casa em Ostia (eram muitas), já cavei como se não houvesse amanhã para encontrar um bordo de uma pátera (de uma malga, vá) e fiquei fascinada com as pinturas murais de um lupanar em Pompeia. Entre outras coisas parvas de quem não tem o que fazer e leu demasiados asterixes em nova. Mais do que para os imperadores, a minha admiração vai direitinha para os gladiadores, coitados, aqueles jovens na flor da idade, musculados e com tanto para dar... Não é o lutar com leões, que isso é na boa e eu própria o faço dia-sim-dia-não, é mais aquela cena de estarem confinados aquelas jaulas e sujeitos às maiores provações, a conviverem dia após dia uns com os outros em jogos de... Bem, adiante, o que eu queria dizer é que sempre achei que o mito dos escoceses se aplicava aos gladiadores e eis que o mistério se desvenda: eles usam boxers! De leopardo!




Amanhã comprovo e depois logo vos digo.













quarta-feira, 22 de junho de 2011

Será novidade introduzida pelo acordo ortográfico?


É simpático da parte dos senhores da Astellas Farma fazerem-me rir para compensar o que já chorei ao ver phlosfla... phosphla... esta cena de fazer a "cama" ao estômago espalhada pelas escadas acima.

E no sofá.

E nos móveis da cozinha.

E na minha cama.